Teste de Farmacogenética

Teste de Farmacogenética (na saliva ou no sangue).

O Teste de Farmacogenética estuda como cada pessoa reage a um determinado medicamento, já que as diferenças genéticas entre pessoas podem afetar as respostas aos medicamentos.

É importante você saber que o exame de Farmacogenética não é como um Antibiograma.

No Antibiograma o exame consegue dizer que antibiótico é mais eficaz numa determinada bactéria.

O exame de Farmacogenética informa como você metaboliza cada Antidepressivo, Antipsicótico (Neuroléptico), Tranquilizante, Estabilizador de Humor, etc. e como esse medicamento pode se comportar no seu organismo, com relação à:

  • Velocidade de metabolização.

  • Possibilidade de mais ou menos efeitos colaterais.

  • Interação com outros medicamentos e alguns alimentos.

O Teste de Farmacogenética informa, por exemplo, se você metaboliza um medicamento de modo mais rápido ou mais lento. Isso ajuda a tomar cuidado com a dose.

  • Metabolizadores lentos podem acumular medicamento no organismo e terem mais efeitos colaterais.

  • Metabolizadores rápidos podem precisar de doses maiores ou de tomar um medicamento mais de uma vez por dia.

O exame é caro e não é indicado para todos os pacientes, cuidado com os modismos.

A interpretação dos resultados não é simples e ás vezes exige longas conversas com Bioquímicos especialistas no assunto.

Muitos pacientes não precisam fazer o Teste de Farmacogenética completo, basta fazerem o Exame de MTHFR (Metilenotetrahidrofolato redutase).

Exemplos de medicamentos analisados no Teste de Farmacogenética (Não incluí todos, apenas os medicamentos disponíveis no Brasil):

  • Antidepressivos: Agomelatina (Valdoxan), Amitriptilina (Tryptanol, Amytril), Bupropiona (Wellbutrin, Zetron, Bup, Seth), Citalopram (Procimax, Citta, Maxapran, Denyl), Clomipramina (Anafranil, Clo), Desvenlafaxina (Pristiq, Elifore, Deller, Imense, Andes), Doxepina, Duloxetina (Cymbalta, Velija, Dual, Cymbi), Escitalopram (Lexapro, Exodus, Reconter, Esc, Deciprax, Remis), Fluoxetina (Prozac, Verotina, Eufor, Daforin), Fluvoxamina (Luvox, Eudok), Imipramina (Tofranil), Mirtazapina (Remeron, Razapina, Menelat), Nortriptilina (Pamelor), Paroxetina (Aropax, Paxil CR, Pondera, Cebrilin, Moratus, Paxtrat), Sertralina (Zoloft, Tolrest, Assert, Serenata, Dieloft), Trazodona (Donaren, Loredon), Venlafaxina (Efexor XR, Venlift OD, Venlaxin, Alenthus XR), Vortioxetina (Brintellix).

  • Antipsicóticos: Amisulprida (Socian), Aripiprazol (Abilify, Aristab, Confilify, Kavium), Clozapina (Leponex), Flufenazina, Haloperidol (Haldol), Lurasidona (Latuda), Olanzapina (Zyprexa, Axonium, Zap), Paliperidona (Invega), Perfenazina, Pimozida (Orap), Quetiapina (Seroquel, Neotiapim, Atip, Quetros, Queopine, Quet XR), Risperidona (Risperdal, Zargus, Respidon, Risperdal Consta), Tioridazina (Melleril), Ziprasidona (Geodon).

  • Analgésicos/Opioides: Carisoprodol, Celecoxibe, Codeína, Fentanil, Flurbiprofeno, Hidrocodona, Metadona, Morfina, Oxicodona, Tramadol 

  • Ansiolíticos e Hipnóticos: Alprazolam (Frontal), Buspirona (Ansitec), Clobazam (Frisium), Clonazepam (Rivotril), Diazepam (Valium, Dienpax), Lorazepam (Lorax)

  • Psicoestimulantes: Anfetamina, Atomoxetina (Strattera), Dextroanfetamina (Venvanse), Metilfenidato (Ritalina), Zolpiden (Stilnox, Noctiden, Patz SL, Turnos).

  • Anticonvulsivantes/Estabilizadores de humor: Ácido Valpróico (Depakote), Carbamazepina (Tegretol), Fenitoína, Fenobarbital, Lamotrigina (Lamictal, Neural, Lamitor), Lítio (Carbolitium).

  • Outros: Naltrexona (Revia, Uninaltrex).

Perguntas e Respostas sobre doenças e tratamentos

Depoimentos de portadores e familiares de portadores de problemas psiquiátricos e psicológicos

Nossa equipe de Psiquiatras e Psicólogos